Pavimento de Concreto

Onde o Pavimento Urbano de Concreto está sendo usado no Brasil?

Compartilhe

Além dos loteamentos, o PUC já é realidade em diferentes tipos de obras. Entenda.

Optar pelo pavimento urbano de concreto (PUC) é prática em ascensão em variados tipos de projetos pelo país. Seja em loteamentos (municipais ou de empreendedores), empreendimentos residenciais e comerciais, pátios industriais, estradas rurais ou outras obras, a solução proporciona benefícios em áreas distintas. “Trata-se de uma alternativa que avança em muitas frentes”, destaca o engenheiro Alvaro Sergio Barbosa Junior, coordenador de Programas e Projetos da Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Concretagem (ABESC).

“Nosso dia a dia é fazer com que essa tecnologia seja empregada da melhor maneira, além de torná-la mais conhecida no mercado. Temos dados para multiplicar, como o case de sucesso do Smart Urba Vila Profeta”, afirma o engenheiro Ricardo Humberto Moschetti, gerente regional de São Paulo da Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP), se referindo ao loteamento no interior paulista em que o PUC se mostrou muito competitivo em relação ao asfalto desde o início do projeto.

Em condomínios como esse, o pavimento urbano de concreto tem a capacidade de receber diversos tipos de tráfego e garante várias vantagens como a menor necessidade de manutenção ao longo de sua vida útil, durabilidade elevada, melhor visibilidade devido à tonalidade clara e maior conforto térmico.

De acordo com Moschetti, muitas vezes existe a ‘cultura do asfalto’ nos loteamentos — com o pavimento executado de maneira inadequada. “O projeto é entregue assim e não há reclamações. O resultado é uma pista de preço reduzido e qualidade baixa. Para combatermos isso, temos que mostrar para os players do setor que o investimento no PUC é muito competitivo e que a opção em concreto consegue gerar resultados excelentes”, analisa.

Além dos loteamentos

Alternativa técnica e economicamente viável em loteamentos, o pavimento urbano de concreto tem comprovado a sua capacidade superior em outros segmentos. É o caso, por exemplo, do galpão logístico Prologis Castelo 46, localizado no km 46 da rodovia Presidente Castello Branco, no município de Araçariguama (SP). O centro de distribuição, que tem cerca de 260 mil m2, conta com muitos sistemas inovadores, como ETE para o tratamento do esgoto, uso de luminárias T5 de alto desempenho, portas e niveladoras importadas, além do PUC.

Destaque, também, para obras realizadas pelo setor público utilizando a solução de pavimento de concreto. “Temos uma estrada rural executada pela Secretaria Estadual de Agricultura e Abastecimento em Piracaia (SP). E está previsto – ainda em licitação – o recapeamento de 45 km de vias em Piracicaba (SP) — em pistas de tráfego leve, médio e pesado. Vale mencionar, ainda, que a Prefeitura de Fartura (SP) deve lançar uma licitação em breve envolvendo o PUC e a Prefeitura de Tarumã (SP) está para começar a obra”, detalha Barbosa, indicando que esses contratos com o poder público são uma quebra de paradigma.

Segundo Moschetti, fica claro que o foco está mais aberto atualmente e que o pavimento urbano de concreto atende a diversas modelagens. “Na Paving Expo — evento que aconteceu em maio —, apresentamos diferentes obras que estão em execução ou já foram executadas utilizado o pavimento de concreto. São projetos de BRTs e intervenções viárias um pouco mais pesadas em Brasília, além de pistas no Espírito Santo e Santa Catarina”, enumera Barbosa.

Para acessar o conteúdo apresentado no painel de Pavimento Urbano de Concreto basta acessar o link.

Aceitação do PUC

Ambos os profissionais concordam que o PUC é bem aceito no Brasil e que não existe uma resistência técnica em relação ao processo. “Do prefeito ao loteador, todos têm ciência de que o pavimento em concreto tem maior durabilidade”, comenta Barbosa. O obstáculo a ser superado para que a solução seja cada vez mais usada é a cultura do pavimento asfáltico.

“O asfalto já está por aí há anos e tem seus atores organizados. Porém, de maneira geral, o brasileiro não é avesso ou resistente ao concreto. É uma mudança cultural, como ocorreu com as nossas calçadas, que antigamente eram em pedras portuguesas e hoje tudo mudou. Ou seja, é uma situação que vai evoluindo e se modificando ao longo do tempo”, diz Moschetti.

PUC sustentável

A indústria do concreto, ora ou outra, é classificada como prejudicial ao meio ambiente — o que não é verdade, na visão dos engenheiros. Eles afirmam que a cadeia está totalmente organizada, desde a busca pela matéria-prima, para ter uma atuação em conformidade com as boas práticas ambientais. Na aplicação como pavimento, o concreto traz diversas vantagens sustentáveis em relação ao asfalto — com destaque para a durabilidade de 20 anos.

“É muito importante frisarmos que em todos os ambientes — seja na agricultura, nas cidades, em galpões ou loteamentos —, nem o setor público, nem o privado gostam de perder dinheiro. Eles buscam pavimentos duráveis e o PUC se destaca nesse ponto”, explica Moschetti, lembrando que no longo prazo, a vantagem também é da opção em concreto. “Qual é a geração de CO2 para vários recapeamentos ao longo dos anos? Em 60 anos, quanto de carbono seria emitido? Para cada seis intervenções no asfalto, o PUC precisa de apenas uma”, pontua.

Quer entender mais sobre os benefícios do pavimento de concreto? Confira na matéria xxxx.

Aproveite e fique por dentro do universo de Pavimento de Concreto em nossa página no Linkedin

Home

Artigo

Vantagens

Sobre

Contato